COMPORTAMENTO PESSOAL DE MICROEMPRESÁRIOS NO BRASIL IMPACTAM O DESENVOLVIMENTO DAS EMPRESAS

28 Maio COMPORTAMENTO PESSOAL DE MICROEMPRESÁRIOS NO BRASIL IMPACTAM O DESENVOLVIMENTO DAS EMPRESAS

COMPORTAMENTO PESSOAL DE MICROEMPRESÁRIOS NO BRASIL IMPACTAM O DESENVOLVIMENTO DAS EMPRESAS

No Brasil, o movimento empreendedor é crescente. Segundos estudos da GEM (Global Entrepreneuship Monitor), 1 em cada 3 brasileiros em idade entre 18 e 64 anos, economicamente ativos, estão envolvidos com projetos de empreendedorismo sozinhos ou em comunidades.

Estudos do SEBRAE apontam que que 42% das empresas abertas não chegam ao terceiro ano de vida, ou seja, são encerradas. E os motivos podem ser os mais diversos, mas a grande maioria está associado ao COMPORTAMENTO do empreendedor.

Veja abaixo comportamentos que podem colaborar com a falta de desenvolvimento ou falência dos negócios:

  • Perfil profissional
  • Empreendedores – tem movimento de expansão
  • Administradores – são controladores, cuidam da manutenção
  • Técnicos – cuidam da qualidade dos produtos ou serviços ofertados
  • Perfil comportamental
  • Como cuidam das finanças pessoais?
  • Como gerem o tempo?
  • Quais são as crenças que limitam ou expandem suas capacidades?

 

Os fatores listados acima fazem parte de um conjunto de comportamentos que podem contribuir tão para expansão quanto para falência dos negócios. Além de não serem os únicos, são absolutamente necessários para qualquer negocio.

Agora vamos analisar algumas ações práticas que, se faltarem deixarão a receita de sucesso com falhas e resultados ruins:

  • Estratégias – ter prioridade em se dedicar tempo ao negocio é importante para se ter uma visão clara de “onde estamos e para onde vamos”
  • Processos – ter o “seu jeito de fazer” ajuda a construir uma cultura forte de manutenção de qualidade. Consequentemente, os impactos nos resultados são positivos.
  • Pessoas – cuidar adequadamente das pessoas que estão envolvidas, agrega muito valor. A valorização das ações humanas em todos os processos, fortalece o engajamento de todos rumo aos mesmos objetivos. Isso inclui tratar com responsabilidade os sócios e gestores. Deixar para se pagar por último é um dos erros mais graves de microempreendedores.
  • Políticas claras – divulgar como e porque as coisas são feitas, além de impedir a aproximação de pessoas que possam atrapalhar.
  • Compartilhamento – delegar ficou mais leve. Agora todos podemos compartilhar e agregar mais valor ao processo todo e isso significa que haverá mais valor de retorno para todos.

Ainda sobre o tema “trabalhar a empresa”, as reuniões de definição de estratégias são importantes e, analisar os indicadores dessas estratégias é determinante para mudanças de rotas. Ter indicadores quantitativos e qualitativos é ter os números contando para nós o que alcançamos com nossas ações. A constância dessas verificações, além de ser um exercício empresarial é também uma ação profissional para manter o crescimento sustentável.

Gostou desse post?
deixe seu link

 

Nenhum comentário

Postar um comentário

Recomendado só para você
PARA ONDE CAMINHAM AS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS? Uma pesquisa…
Cresta Posts Box by CP
Open chat