Sou empreendedor e "estou" empresario. E agora? - Filadélfia Contabilidade
865
single,single-post,postid-865,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-7.3,wpb-js-composer js-comp-ver-4.5.2,vc_responsive

Sou empreendedor e “estou” empresario. E agora?

empresario-atarefado

05 out Sou empreendedor e “estou” empresario. E agora?

Depois de empreender, os novos desafios para quem deseja sucesso nos negocios

 

Segundo o SEBRAE, existem hoje no Pais cerca de 6,34 milhões de micros e pequenas empresas no Brasil, assim classificadas de acordo com numero de funcionários e faturamento anual. Dessas, 52% são responsáveis pela maioria dos empregos gerados.

Muitas dessas empresas trabalham por processos definidos, tem equipes focadas em resultados que desempenham suas tarefas por procedimentos pré determinados e tem controle de qualidade.

No entanto, grande parte delas ainda é coordenada pelos sócios que são profissionais multi tarefas e que na maioria das vezes mantém o foco central na atividade fim da empresa, deixando para segundo plano assuntos como controle de índices de desempenho, gestão fiscal e contábil, etc.

Algumas ainda, não tem nem processos definidos para gestão financeira que compreende contas a pagar, contas a receber, fluxo de caixa, DRE, balanço patrimonial, dentre outros relatórios importantes para gestão dos negócios.

As conseqüências deste comportamento variam de problemas cadastrais prejuízos financeiros com pagamentos de multas ou autuações.

O momento de empreender pede ações especificas como pesquisas, planejamentos, plano de negócios, orçamentos, etc. Uma vez criado o novo empreendimento, as ações passam a ser de gestão de todos os processos ou assuntos, tais como: Recursos Humanos, Gestão Financeira, Marketing, Atendimento, etc., que são as ações possibilitadoras da manutenção do projeto inicial.

É nesta hora que o empreendedor passa a exercer a função de empresário. E muitas vezes não tem preparo pra isso. Por mais formação acadêmica que tenha, há detalhes e atividades que fogem ao seu conhecimento e carece de educação empresarial e  treinamento, principalmente quando se trabalha com numero reduzido de pessoas na equipe (caso de muitas organizações).

É importante saber que assim como as pessoas físicas tem necessidade de cuidados independente da idade, da cor, da altura ou de qualquer outro fator, as pessoas jurídicas também tem necessidades especiais imprescindíveis para garantir a sobrevivência e o controle de resultados.

Parecem muitos desafios a serem enfrentados, mas uma vez entendido quais indicadores mostram a saúde financeira e econômica da empresa, basta focar neles e buscar conhecimento detalhado em como se produz estes índices.

Ou seja, além das atividades iniciais exigidas de todo empreendedor, há ainda uma série de outras ações que serão praticadas pelo empresário que, embora sendo a mesma pessoa, deve compreender que a realização de projetos dependem de suas ações.

Assumir a responsabilidade pelos negócios, quer dizer, dentre outras coisas,  entender como funcionam os processos e quais as conseqüências de serem conduzidos inadequadamente ou não existirem..

Se o empreendedor entender esta necessidade de desenvolver habilidades de gestão profissional de negócios como empresário, amplia as possibilidades de geração de riquezas para si, para os que fazem parte do projeto e para a sociedade, cumprindo desta forma os objetivos da empresa.

 

 

Nenhum comentário

Postar um comentário