Inadimplência na arquitetura: O que fazer quando o cliente não paga?

empresa de arquitetura

03 jan Inadimplência na arquitetura: O que fazer quando o cliente não paga?

Qualquer tipo de negócio um dia irá lidar com clientes inadimplentes. E na arquitetura não é diferente.

No caso do arquiteto, pode ser mais complicado, pois isso pode deixá-lo “meio que de mãos atadas”, sem saber o que fazer, pois ele precisa continuar fazendo negócios, fechando projetos, captando e mantendo os clientes, porém também é necessário que ele receba o que lhe é devido, do contrário, como poderá continuar a atuar na arquitetura?

A cobrança é fundamental para que seu negócio permaneça fluindo bem na arquitetura, de maneira que o caixa consiga cobrir todos os gastos realizados durante o projeto.

Mas aí pode lhe vir a pergunta: “como enfrentar o problema da inadimplência,  que vem sendo cada vez mais praticado pelos clientes?” ou “como cobrar os devedores de uma forma que eles continuem sendo os meus clientes?“.

Abaixo você saberá como prosseguir quando isso acontecer na sua empresa de arquitetura.

Organize seu controle de contas a receber

Um bom método contra a inadimplência na arquitetura é saber ao certo qual é a situação de cada cliente seu.

  • Quantos estão lhe devendo?
  • Qual o tamanho da dívida?
  • Há quanto tempo essa situação está assim?

Ficar ciente dessas informações é a maneira ideal para que você consiga esquematizar estratégias de cobrança ou outros métodos de negociações para esses clientes inadimplentes.

Mantenha cadastros atualizados de seus clientes

Os cadastros dos seus clientes precisam ser atualizados sempre, para evitar que algumas cobranças sejam feitas apenas quando for tarde demais e que o contato com o cliente não se perca, com o passar do tempo.

Além disso, um cadastro meticuloso, com o histórico de compras de cada cliente, te dá a oportunidade de ver se o cliente só está te devendo naquela determinada data, ou seja, se a dívida é algo que quase nunca acontece, ou se ele é um devedor constante. Analisando o caso, você vê se vale a pena ou não dar um desconto para o mesmo ou até mesmo realizar um novo projeto.

Utilize técnicas de cobrança

Quando for realizar uma cobrança, inicie em cima do valor total.

Se caso o cliente vier a propor algum tipo de negociação, saiba até onde é possível aceitar. Analise se é possível expandir o prazo de pagamento, se você realmente pode fornecer um desconto em cima do valor total, etc.

Cobre, porém, não constranja o devedor

Segundo o código de defesa do consumidor, a empresa de arquitetura ou qualquer outra não pode expor o devedor e nem o colocar em situações constrangedoras quando for realizar a cobrança.

Por esse motivo, você deve evitar ao máximo utilizar meios públicos, que envergonhe ou ameacem o cliente inadimplente. Opte por métodos sutis e respeitosos, como e-mails ou telefonemas.

Seja centrado

Quando você for entrar em contato com o cliente que está devendo à sua empresa de arquitetura, não o corte – quando o mesmo estiver falando ou se explicando; tente ao máximo entender as suas razões, embora a cobrança seja o alvo principal, o relacionamento entre o saber ouvir e o falar faz toda a diferença, e muitas vezes é dessa forma que se consegue chegar a um bom acordo entre as partes.

Seu negócio precisa receber o valor devido e o cliente precisa mais do que tudo regularizar a sua situação, portanto sempre é um assunto que interessa aos dois. Então, é necessário que você tenha foco e seja objetivo nessa hora. Não se esqueça de propor métodos viáveis de pagamento para ambos e seja persuasivo, cite fatores que são fundamentais como:

  • A positivação do nome junto aos órgãos de proteção ao crédito, como o SPC/Serasa,
  • Como através da quitação do débito, o mesmo pode readquirir o poder de compra, seja em sua empresa de arquitetura ou no comércio ou indústria em geral;

Enfim, existem várias maneiras de você entrar num acordo com os clientes inadimplentes na arquitetura. Esperamos que estas dicas possam lhe ajudar, e que colocando-as em prática você seja bastante persuasivo e tenha sucesso na cobrança de seus recebíveis!

Até a próxima!

Nenhum comentário

Postar um comentário