BRASIL – NOVOS RUMOS ECONÔMICOS? - Filadélfia Contabilidade
693
single,single-post,postid-693,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-7.3,wpb-js-composer js-comp-ver-4.5.2,vc_responsive

BRASIL – NOVOS RUMOS ECONÔMICOS?

dinheiro49

15 jan BRASIL – NOVOS RUMOS ECONÔMICOS?

A Presidente Dilma Rousseff continuará no comando por mais quatro anos. Todos de olho na economia do País e nas ações que serão tomadas daqui pra frente para garantir apoio dos empresários.

Embora grande parte da população esteja satisfeita com o Governo, os empresários que financiam as obras publicas demonstram descontentamento com o tratamento que recebem.
A expectativa agora é que se tenha na prática, uma maior desburocratização de processos que simplifiquem aberturas e encerramentos de empresas.

Alem disso, pelo menos uma revisão na carga tributária se faz necessário, já que uma reforma completa demora mais.

A tabela de Imposto de Renda Pessoa Fisica, precisaria ser revista para corrigir as perdas dos contribuintes.

As baixas tabelas do Simples Nacional também merecem correção imediata, visto que os limites de faturamento comprometem o crescimento das empresas que freiam o desenvolvimento com medo da carga tributária.

O estabelecimento de um grande diálogo entre Governo em Micros e Pequenos Empresários pode contribuir para que todos continuem colaborando para o progresso do País, porém sendo melhor assistidos, tendo mais condições de expansão que lhes garanta a evolução nos negócios, sem necessariamente serem “punidos” com altas cargas tributárias.

O Governo está preocupado em manter uma comunicação saudável com o empresariado. Bom momento para que todos se unam e falem dos incômodos que sofrem para manterem suas empresas abertas e gerando empregos. Basta se unir a outros profissionais com o mesmo intuito e juntos, buscar soluções mais justas.

Por outro lado, além do Governo ouvir e responder os atuais empresários que tanto tem a falar, deveria também investir em educação empreendedora, financeira e empresarial para garantir que futuros Micros e Pequenos Empresários não passem pelas mesmas coisas que os atuais, podendo acelerar o crescimento do País.

Nenhum comentário

Postar um comentário